Notícias

Acompanhe as ultimas notícias no mundo jurídico.

A interceptação telefônica é um meio de prova usado em âmbito penal ou processual penal no qual um terceiro, obrigatoriamente autorizado pelo juiz competente, tem acesso ao conteúdo de ligações telefônicas entre duas pessoas.

No entanto, esse tipo de prova exige a satisfação de vários requisitos para que possa ser produzido. Isso se dá porque, quando há interceptação, é violado o direito fundamental do sigilo das conversas telefônicas. Caso não haja respeito a esses requisitos, a prova é considerada ilícita e não pode ser utilizada.

Também utilizada no âmbito penal estão as escutas telefônicas, que não se confundem com a interceptação. Na escuta, um dos dois interlocutores sabe que eles estão sendo gravados por um terceiro. Assim como na interceptação, para uma escuta ser considerada como prova legal em processo penal, ela precisa, necessariamente, de autorização judicial.

O advogado Willer Tomaz, sócio do escritório Willer Tomaz Advogados Associados, lembra que a Lei nº 9.296/96 regulamenta a interceptação de comunicações telefônicas para prova em investigação criminal e em instrução processual penal. E, conforme o especialista, dependerá de ordem judicial idônea sob segredo de justiça.

“Deferido o pedido, a autoridade policial conduzirá os procedimentos de interceptação, dando ciência ao Ministério Público, que poderá acompanhar a realização do ato, sendo que constitui crime interceptar comunicações telefônicas, de informática ou telemática, ou ainda quebrar segredo da Justiça, sem autorização judicial ou com objetivos não autorizados em lei”, destacou Tomaz.

O advogado criminalista também explica que, quanto ao tocante do “protocolo” de atuação, uma vez realizada a gravação das conversas interceptadas, caberá à Polícia proceder à sua degravação, ainda que apenas dos trechos necessários ao embasamento da denúncia. “E ao fim, encaminhará o resultado da interceptação ao juiz, acompanhado de auto circunstanciado com o resumo das operações executadas”, detalha.

A ausência de autorização judicial para a captação de conversas resulta na declaração de nulidade da prova obtida.

WILLER TOMAZ

WILLER TOMAZ

WILLER TOMA

Matéria publicada na Rota Jurídica.

WT Advogados

 

O escritório WT ADVOGADOS ASSOCIADOS está comprometido com a privacidade dos dados dos seus usuários no ambiente da Internet.

1 - Identificação: O escritório WT ADVOGADOS ASSOCIADOS é uma sociedade de advogados, devidamente inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Distrito Federal, sob o nº 1.772, que presta serviços especializados na área jurídica, nos mais diversos campos do Direito. Estabelecida em Brasília, Distrito Federal, no SHIS QI 01 Conjunto 04 Casa 25, Lago Sul, elaborou sua Política de Privacidade embasada nos Princípios Internacionais, amplamente reconhecidos no âmbito das “Práticas justas no tratamento da informação”.

2 - Informação: O escritório está comprometido com a privacidade de dados pessoais dos usuários cadastrados, conferindo aos mesmos os necessários padrões de segurança, preservando os princípios éticos de transparência no tratamento, controle e uso das informações. Tem como política basilar colher apenas as informações e dados necessários para perfeita consecução dos serviços profissionais oferecidos. Todas as informações e dados pessoais dos usuários colhidos pelo escritório WT ADVOGADOS ASSOCIADOS são confidenciais e não são repassados a terceiros.

3 - Legalidade, Conformidade Internacional e Limites Éticos: Considerando os serviços especializados que o escritório oferece, bem como a atividade profissional exercida, adstritos aos ditames elencados no Código de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil, é preservado o sigilo profissional na relação entre advogado e cliente (artigos 25, 26 e 27 do Código de Ética e Disciplina).

4 - Acessibilidade: O usuário cadastrado terá acesso ao(s) seu(s) processo(s) acompanhado(s) pelo escritório WT ADVOGADOS ASSOCIADOS, mediante o uso de senha pessoal, dentro dos limites legais e éticos vigentes, devendo, para tanto, solicitar o referido acesso através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. Informações e termos legais | Política de privacdade.