Notícias

Acompanhe as ultimas notícias no mundo jurídico.

No início do mês o ministro Dias Toffoli pediu vista e interrompeu julgamento sobre a ultratividade de normas coletivas. O tema está em análise no STF na ADPF 323, ajuizada pela Confenen - Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino contra a manutenção dos efeitos das normas após fim de sua vigência.

Até o momento, quatro votos entendem pelo fim da ultratividade.

O processo envolve a Súmula 277 do TST, que considera que as normas coletivas podem ser estendidas e incorporadas aos contratos de trabalho mesmo após seu prazo de vigência, até que haja uma nova negociação coletiva.

Os ministros Nunes Marques, Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso acompanharam o voto do relator, ministro Gilmar Mendes, pelo afastamento da manutenção das cláusulas após o fim da vigência das normas coletivas. Para o relator, a Súmula da Corte Trabalhista é incompatível com os princípios da legalidade, da separação dos Poderes e da segurança jurídica. Já os ministros Edson Fachin e Rosa Weber divergiram.


O advogado trabalhista Pedro Maciel, sócio da Advocacia Maciel, explica que a ausência da ultratividade faz com que os sindicatos tenham que negociar mais para manter os direitos obtidos na negociação coletiva.

"No entanto, decidir pela validade da ultratividade pode fazer com que as convenções coletivas fiquem desatualizadas da realidade do dia a dia do trabalho nas empresas, ao passo que nenhuma parte gostaria de abrir mão de vantagem obtida em negociação coletiva", alerta o especialista, que também acredita que a falta da ultratividade traz maior gama de possibilidades para negociações de ambas as partes, e força a atualização dos instrumentos coletivos.

Leia Mais
Toffoli suspende julgamento sobre ultratividade de normas coletivas

Para o advogado Willer Tomaz, sócio do escritório Willer Tomaz Advogados Associados, a fruição de benefícios fixados em normas coletivas de trabalho deve estar adstrita ao seu prazo de vigência.

"Não podendo o Poder Judiciário, em franca usurpação de competências legislativas privativas do Congresso Nacional, instituir regra trabalhista nova com força de lei e sem previsão legal, consistente na manutenção infinita de direitos em verdade temporários, assim definidos consensualmente pelas entidades sindicais representativas de trabalhadores em pé de igualdade com os empregadores."

Segundo o especialista, a ultratividade das normas coletivas de trabalho já foi, inclusive, objeto de vedação expressa na reforma de 2017. "De modo que a Súmula 277 do TST não encontra validade alguma frente à Constituição Federal e à legislação ordinária", conclui.

Este conteúdo pode ser compartilhado na íntegra desde que, obrigatoriamente, seja citado o link: https://www.migalhas.com.br/quentes/350399/para-especialistas-ultratividade-de-normas-coletivas-deve-acabar

Processo: ADPF 323

WILLER TOMAZ

WILLER TOMAZ

WILLER TOMA



Matéria publicada no Migalhas e Contabéis

WT Advogados

 

O escritório WT ADVOGADOS ASSOCIADOS está comprometido com a privacidade dos dados dos seus usuários no ambiente da Internet.

1 - Identificação: O escritório WT ADVOGADOS ASSOCIADOS é uma sociedade de advogados, devidamente inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Distrito Federal, sob o nº 1.772, que presta serviços especializados na área jurídica, nos mais diversos campos do Direito. Estabelecida em Brasília, Distrito Federal, no SHIS QI 01 Conjunto 04 Casa 25, Lago Sul, elaborou sua Política de Privacidade embasada nos Princípios Internacionais, amplamente reconhecidos no âmbito das “Práticas justas no tratamento da informação”.

2 - Informação: O escritório está comprometido com a privacidade de dados pessoais dos usuários cadastrados, conferindo aos mesmos os necessários padrões de segurança, preservando os princípios éticos de transparência no tratamento, controle e uso das informações. Tem como política basilar colher apenas as informações e dados necessários para perfeita consecução dos serviços profissionais oferecidos. Todas as informações e dados pessoais dos usuários colhidos pelo escritório WT ADVOGADOS ASSOCIADOS são confidenciais e não são repassados a terceiros.

3 - Legalidade, Conformidade Internacional e Limites Éticos: Considerando os serviços especializados que o escritório oferece, bem como a atividade profissional exercida, adstritos aos ditames elencados no Código de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil, é preservado o sigilo profissional na relação entre advogado e cliente (artigos 25, 26 e 27 do Código de Ética e Disciplina).

4 - Acessibilidade: O usuário cadastrado terá acesso ao(s) seu(s) processo(s) acompanhado(s) pelo escritório WT ADVOGADOS ASSOCIADOS, mediante o uso de senha pessoal, dentro dos limites legais e éticos vigentes, devendo, para tanto, solicitar o referido acesso através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. Informações e termos legais | Política de privacdade.