Notícias

Acompanhe as ultimas notícias no mundo jurídico.

Está pendente no Supremo Tribunal Federal (STF) o julgamento de três ações que questionam a constitucionalidade da execução provisória da pena. O julgamento pelo Plenário estava marcado para o dia 10 de abril, mas foi retirado da pauta pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli, na última quinta-feira (04/04).

A OAB, autora de uma das ações, pediu o adiamento alegando que a nova diretoria do órgão tomou posse recentemente e que, por isso, necessita de mais tempo para se inteirar das questões que envolvem as ações.

Para o criminalista Willer Tomaz, do escritório Willer Tomaz Advogados Associados, a prisão antecipada é inconstitucional por violar previsão expressa da Constituição Federal. “A Constituição é explícita e não deixa margem para dúvidas ao afirmar que o réu só será considerado culpado após o trânsito em julgado da sentença penal condenatória, ou seja, quando não houver mais possiblidades de nenhum recurso. Qualquer interpretação diferente padece de inconstitucionalidade por violar diretamente a Constituição”.

Segundo o especialista, a liberdade do réu deve prevalecer sempre que houver a possibilidade de reversão da condenação. “A obviedade lógica e irrefutável é de que sempre haverá chances de modificação do julgamento enquanto houver a possibilidade de recurso. O que deve prevalecer nesse cenário de possibilidades é a liberdade de locomoção do acusado. A sua restrição só cabe quando houver a certeza da culpa, após o trânsito em julgado”. “Quanto custa a um inocente uma prisão injusta?”, acrescenta o especialista.

As ações em questão, as ADCs 43, 44 e 54, foram propostas pelo Partido Nacional Ecológico (PEN), pelo Conselho Federal da OAB, e pelo PCdoB, respectivamente, após decisões do STF, em 2016, que autorizaram decretos de prisão após condenação em segunda instância.

O ponto comum das demandas é a ofensa artigo 5º, inciso LVII, da Constituição Federal, o qual dispõe que “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”. As entidades pedem que seja declarada a constitucionalidade do artigo 283 do Código de Processo Penal, o qual afirma que “ninguém poderá ser preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada da autoridade judiciária competente, em decorrência de sentença condenatória transitada em julgado.”

Ainda não há previsão para a retomada dos casos pelo Plenário da Corte.

Willer Tomaz

Willer Tomaz

Willer Tomaz

WT Advogados

 

O escritório WT ADVOGADOS ASSOCIADOS está comprometido com a privacidade dos dados dos seus usuários no ambiente da Internet.

1 - Identificação: O escritório WT ADVOGADOS ASSOCIADOS é uma sociedade de advogados, devidamente inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Distrito Federal, sob o nº 1.772, que presta serviços especializados na área jurídica, nos mais diversos campos do Direito. Estabelecida em Brasília, Distrito Federal, no SHIS QI 01 Conjunto 04 Casa 25, Lago Sul, elaborou sua Política de Privacidade embasada nos Princípios Internacionais, amplamente reconhecidos no âmbito das “Práticas justas no tratamento da informação”.

2 - Informação: O escritório está comprometido com a privacidade de dados pessoais dos usuários cadastrados, conferindo aos mesmos os necessários padrões de segurança, preservando os princípios éticos de transparência no tratamento, controle e uso das informações. Tem como política basilar colher apenas as informações e dados necessários para perfeita consecução dos serviços profissionais oferecidos. Todas as informações e dados pessoais dos usuários colhidos pelo escritório WT ADVOGADOS ASSOCIADOS são confidenciais e não são repassados a terceiros.

3 - Legalidade, Conformidade Internacional e Limites Éticos: Considerando os serviços especializados que o escritório oferece, bem como a atividade profissional exercida, adstritos aos ditames elencados no Código de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil, é preservado o sigilo profissional na relação entre advogado e cliente (artigos 25, 26 e 27 do Código de Ética e Disciplina).

4 - Acessibilidade: O usuário cadastrado terá acesso ao(s) seu(s) processo(s) acompanhado(s) pelo escritório WT ADVOGADOS ASSOCIADOS, mediante o uso de senha pessoal, dentro dos limites legais e éticos vigentes, devendo, para tanto, solicitar o referido acesso através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. Informações e termos legais | Política de privacdade.